Saturday, June 04, 2005

Soneto que eu recitava no Sarau Tribo das Artes em Taguatinga


A autenticidade de cada instante

Queria viver das coisas sua simplicidade
E das pessoas ter o abraço mais confortante
Sorrir e chorar em cada oportunidade
Viver a autenticidade de cada instante

Eu queria poder abraçar firme a verdade
E ser para os outros, incólume semblante
De motivação profunda, não de vaidade
De dedicação, não de vontade arrogante

Mas, nos olhares que refutam o que eu quero
Brilha a impassibilidade do meu desejo
Com a realidade dos sentimentos vis

E quando eu choro essa realidade (sincero)
Mais entendo o insolúvel problema que ensejo
E mais vou à busca de ser mesmo feliz!


Dário Castro

0 Comments:

Post a Comment

<< Home